Mapa Astral - O sexo de Lilith. Você conhece a primeira mulher de Adão? | Meu Astro - Mapa Astral, Signos, Planetas, Nodo, Lilith, Quíron, Roda da Fortuna
Astrologia

O sexo de Lilith. Você conhece a primeira mulher de Adão?

By 10 de setembro de 2019 No Comments

De acordo com várias vertentes da Astrologia, Lilith representa onde estão nossos bloqueios, a nossa parte exilada, reprimida e que pode se rebelar e tornar-se incontrolável. Também chamada de Lua Negra, ela é representada no Mapa Astral Natal. 

Astronomicamente falando, Lilith é “calculada” através do grau do apogeu da órbita lunar projetado na elíptica do Zodíaco. Sendo o ponto em que a lua fica mais distante da Terra eu seu movimento. Daí a primeira associação com o exílio e com tudo aquilo que está distante de nossa consciência.

A lenda de Lilith

De acordo com o Zohar, um dos principais livros da cabala/Kabbalah judaica, Lilith foi a primeira mulher de Adão/Adam. Inicialmente criada em igualdade de poderes com o primeiro homem. Tanto que essa não aceitou ser subserviente e submissa aos desejos do ser masculino.

Dizem, ainda, que ela teria se recusado a ficar embaixo do corpo de Adão durante o ato sexual. Essa rebeldia, então, fez com que ela renegasse o Paraíso (Gan Eden) e fosse viver exilada, aqui no nosso planeta, no que corresponde à localização do Mar Vermelho. Então, em essência, Lilith – Lua Negra, representa o feminino e a mulher em busca de igualdade de direitos. Nada mais atual, não é mesmo?

Vale lembrar, entretanto, que muitos povos a consideraram um ser demoníaco, inclusive a mãe de todos os demônios e esposa de Samael, o que conheceríamos como Satanás/Satan (o opositor). Aliás, durante a história, tudo o que foi ligado ao feminino, à intuição, ao poder das mulheres, ao culto à deusa foi considerado algo maléfico, menor, e perseguido. Prova disso, é que mulheres emancipadas sempre foram consideradas bruxas.

Em meuastro.com.br, entretanto, preferimos acreditar que essa associação de Lilith com o mal deve ser fruto do medo de confrontar nossos demônios – isso sim – internos, representando inveja, ciúmes, insegurança, cobiça, luxúria etc. Portanto, Lilith não é má. Mas representa aquilo que é desconfortável e desafiador. Tais mitos – independente de você crer neles ou não – vêm nos lembrar que temos partes ocultas, escondidas e desejos reprimidos. E é importante conhecê-los para que eles não se sobreponham a nós.

Lilith na Sociedade

Todas as mulheres ditas extravagantes, debochadas, intrigantes, livres, “levianas”, emancipadas – além do arquétipo de pombagira na umbanda/quimbanda – são também regidas por Lilith. Já que se encarrega de tudo o que é reprimido e malvisto na sociedade, incluindo as atividades ligadas à prostituição. Porém, vale lembrar que toda a energia de Lilith, se bem usada e canalizada, pode ser um grande diferencial nas vidas de homens e mulheres.

Lilith na Astrologia

Assim, Lilith fala sobre nossa liberdade, libido, sexualidade, moralidade própria, livre-arbítrio, desejos ocultos, tesão, paixão desenfreada, posse, vícios, decadência… Com uma energia tão  sedutora e intensa, podemos facilmente perder o equilíbrio e beirar a autodestruição.

Lilith pode também falar sobre tudo aquilo que não aceitamos em nós mesmos, e escondemos no inconsciente. Além de traumas, abusos sexuais, complexos, vergonhas e medos que internalizamos para não ter de lidar com nossos bloqueios e limitações. 

Lilith no Mapa Astral

Em um Mapa Astral Natal masculino representa as áreas onde o homem tentará reprimir a mãe, uma esposa ou namorada. Muitos homens ditos machistas ou dominadores têm posicionamentos complexos referentes à Lua Negra no Mapa Astral Natal.

Já em um Mapa Astral feminino, ela representa a suscetibilidade, os pontos fracos a partir dos quais a mulher pode ser colocada em submissão. Em outras palavras, representa as fraquezas por onde a mulher seria governada ou comandada por um parceiro amoroso.

Lilith sempre deve ser analisada em confluência com outros fatores. Mas o foco comum é no material reprimido e que, portanto, pode ser revelador para qualquer pessoa. Independentemente de gênero ou orientação sexual.

Lilith nas Casas Astrológicas

Lilith aparece nas casas do Mapa Astral intensificando as áreas onde seus bloqueios emocionais/energéticos/sexuais podem ficar mais evidentes. E conhecer esse posicionamento pode explicar muitos comportamentos “esquisitos” que nutrimos sem saber as causas. Pode representar aquilo que precisamos libertar. Por exemplo: Lilith na Casa I, revela uma louca vontade de impor sua vontade colocando sua conquista em primeiro lugar, agindo de forma obsessiva.

Lilith nos Signos 

Nos Signos, Lilith vem falar de algumas qualidades ou defeitos que poderão ser acentuados ou suavizados a partir dessa presença (da Lua Negra). Exemplo: Lilith em Peixes reforça a vulnerabilidade, estando a pessoa muito suscetível ao que os outros falam ou pensam a respeito de si. Vale lembrar também que, em um Mapa Astral, sempre serão avaliados e considerados os dois posicionamentos em conjunto.

Astrologia vista em síntese

Longe de dar veredictos a respeito das pessoas, a Astrologia pode ser extremamente positiva se utilizada a partir de um grande poder de observação e interpretação e relativização de conceitos. Portanto, um posicionamento isoladamente não tem força para determinar acontecimentos (pelo menos em tese). 

Precisamos, então, analisar vários pontos de um Mapa Astral Natal para poder afirmar com mais assertividade. Principalmente sobre temas tão polêmicos. Assim, não há receita de bolo. Há estudo, bom senso e observação.

Mas algo é certo: Lilith é fascinante, sedutora e pode fazer toda a diferença na sua vida hoje. A partir do momento que você, sendo homem ou mulher, topar o desafio de olhar para seus próprios porões internos. Se quiser conhecer a Lilith no seu Mapa Astral, clique aqui!

Deixe um comentário