Esoterismo, Espiritualidade

A cura do Coronavírus também precisa ser interior, no nível da alma

Cura Vacina Coronavirus

Nos tempos em que Coronavirus torna-se uma pandemia mundial, avança em número de mortes e infectados, espalha medo de uma recessão em todos os continentes, incluindo preocupações atuais com África, Itália e Brasil (e com o restante do mundo), muitos de nós sentem uma pressão quase insuportável.

Como não estamos no nosso modus operandi normal, as coisas definitivamente ficam mais complicadas. E nesse caminho, vemos pessoas tomando atitudes extremadas (e desesperadas), em um mundo que parece ter virado de cabeça para baixo.

Notícias como rebeliões, presos que fogem da prisão, cidadãos que são colocados em isolamento, quarentena, gente que se vê obrigada a trabalhar de home office, um número incrível de pessoas preocupadas com os principais sintomas do coronavirus, como evitar COVID-19, cura do coronavirus… E as notícias crescem a cada dia e parecem não ter data para acabar.

Como você acha que nosso emocional fica após tamanha enxurrada de notícias bombásticas? A resposta é que nossa saúde sente em todos os níveis. O estresse aumenta exponencialmente e todo o nosso organismo sente a carga densa, pesada de viver nestes tempos.

Cuidados com a saúde

Obviamente, os cuidados com a exposição ao vírus e para evitar uma possível contaminação podem e precisam ser respeitados, mas é preciso lembrar também que, neste mesmo ambiente psico-bio-físico-emocional existem outros vírus, bactérias e parasitas energéticos que se aproveitam de nossas fragilidades para se instalar e roubar nossa saúde em todos os níveis.

Fragilidades

Se você sente-se emocionalmente abalado(a), esta fragilidade pode, por si, abalar sua saúde, independentemente de contrair o Coronavirus. Isso porque um desequilíbrio emocional afeta também nossa resposta imunológica, fazendo com que nosso corpo, grosso modo falando, torne-se mais fraco e menos hábil para se livrar de doenças.

A espiritualidade

Aliás, é bom dizer que é impossível desconectar a vida física dos aspectos emocionais e espirituais do ser humano. A pessoa precisa ser olhada de forma holística, não apenas como um corpo apresentando sintomas. Mas sim, um Ser Humano que interage com uma realidade que pode adoecê-lo não só no nível físico, mas no nível da alma.

Registros de medo e dor

Todo e qualquer abalo emocional em nossas vidas ficam registrados na nossa “memória” espiritual, por assim dizer. Podemos imaginar que uma pessoa emocionalmente abalada carrega com ela milhares de pedaços, núcleos de dor, desespero, angústia, medo. E esses conteúdos ficam “vivos” e perturbando a paz e o controle emocional 24 horas por dia, inclusive quando dormimos.

Processos que se repetem

Se olharmos a nossa história, perceberemos que, de tempos em tempos, o Planeta Terra apresenta-nos uma pandemia, tais como a gripe espanhola, o ebola, pestes, e ou ou outro novo processo de doença ou que requer um nível grande de esforço para adaptação. Lamentavelmente, esses episódios nos retiram prematuramente milhares de vidas.

É fato que nascemos já com essa sentença de que todos nós um dia morreremos, mas nenhum de nós sequer admite a possibilidade de esse processo ser abreviado por uma causa abrupta como um vírus incontrolável e mortal.

Reconexão com a Terra

É importante também lembrar que não seremos exterminados como no caso dos dinossauros, mas infelizmente perderemos sim, vidas. E que cada única vida vale muito. E também que precisamos ter muito mais força e resiliência para nos manter com o mínimo de equilíbrio para que esta fase seja superada o mais breve possível.

O fato de que todos nós estamos mais ou menos expostos – independentemente de onde estejamos no globo terrestre – nos lembra de que estamos no mesmo barco, estamos conectados, em um ambiente globalizado e isso precisa ser encarado da melhor forma possível: todos somos um. E precisamos pensar em cura, em todos os níveis. Quais são os parasitas emocionais que se aproveitam da sua dor? Que tal descobrir mais aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *