autoconhecimento, Terapias Alternativas, Xamanismo Norte-Americano

Oh, Grande Espírito

Grande Espirito

Oh, Grande Espírito… Este texto foi feito sob encomenda, a partir de um pedido espiritual, mediúnico, intuitivo e para que ele chegue a você. Sim, porque quando lidamos com conhecimentos que vão além do mundo cartesiano, é preciso seguir o fluxo e permitir que os processos simplesmente aconteçam, mesmo que nossa lógica não compreenda.

Comigo foi assim. Durante muitos anos, relutei em seguir um aprofundamento espiritual mais consistente. Mas chega uma hora que é simplesmente impossível ignorar os chamados, as coincidências… Então surge a hora de admitir que sim, como diria William Shakespeare, em Hamlet: “há mais coisas entre o céu e a terra do que foram sonhados na sua vã filosofia”.

E o assunto hoje é Xamanismo, o conhecimento ancestral dos nativos norte-americanos. Seguindo a tradição dos Sioux Lakota, Grande Espírito é o nome como essa tribo chama a Deus. Wakan Tanka, em idioma local, é o Grande Criador de Todas as Coisas (Great Spirit).

Meu primeiro contato com o Xamanismo aconteceu lá no início dos anos 2000. Um universo decididamente fascinante e, por incrível que pareça, totalmente antenado às nossas necessidades contemporâneas. Mas a inspiração para escrever sobre isso veio exatamente hoje, em 2020, como uma visão holográfica – com direito a som e efeitos especiais (rs) – que recebi durante um atendimento terapêutico de Earth Connections* à distância.

Uma visão espiritual

Após eu pegar carona com uma águia, cheguei a um local que fica acima das nuvens, no chamado Mundo Espiritual Superior. Ok, ok, parece viagem, uma bad trip, mas eu não uso entorpecentes e, portanto, não estava sob o efeito de nenhum alucinógeno. Era apenas conexão espiritual genuína, conhecida há séculos pelas tribos ao redor do mundo.

E a mensagem era clara: o Grande Espírito – que de fato apresentou-se como um índio de uns 40 metros de altura – fazia um convite para que eu me tornasse do tamanho dele. Eu então crescia automaticamente, ficava gigante, e Ele me dava um super abraço.

Antes que eu seja acusado de megalomania, é preciso dizer que a mensagem é para todos nós. Deus, o Criador, nos ama, nos quer grandes e saudáveis. E eu me recuso a crer em um criador que precise de nossa pequenez e subserviência.

Sob uma perspectiva xamânica, aliás, Deus está dentro e fora de nós. Então, não é possível que Ele se apequene, que Ele se acanhe. Pelo contrário, Ele permanece diariamente nos chamando para que cresçamos, para que tenhamos o mesmo tamanho D’Ele.

Mas atenção: cuidado para não confundir crescer com sentir-se mais importante que os outros. Aliás, essa é uma “casca de banana” em que muitos escorregam ao trilhar a senda da espiritualidade.

Crer que são escolhidos, separados, merecedores, bonificados. Eu sinceramente discordo disso. Somos diferentes e isso é tudo. Todo o resto, toda a comparação, tudo isso é apenas vaidade.

Mas algo é fato para mim. Eu acredito que o Criador de Todas as Coisas é real. Ele É. E trata-se de um Deus de uma simplicidade infinitamente sofisticada. E talvez por isso, nós façamos tanta questão de nos afastar D’Ele.

A criança ferida e a desconexão com o Criador

Durante a vida, e à medida que vamos passando por sofrimentos e frustrações, podemos ficar mimados, arrogantes, raivosos, polarizados. Querendo que a vida seja ótima única e exclusivamente porque somos especiais. Como isso é impossível, ficamos “de mal” com a vida. Ou seja: literalmente ficamos com raiva da existência.

O mais provável é que nossos traumas e mágoas infantis – brilhantemente trabalhados nas tradições xamânicas – sejam em grande parte responsáveis pelos nossos problemas atuais. Já que criam bloqueios e entraves na expressão de nossa criança interior, aquela parte nossa que é responsável por nossos sonhos e espontaneidade.

O resultado é que crescemos e envelhecemos, sem de fato nos tornarmos adultos. E este é um grande empecilho. Enquanto nos movimentarmos na vida exigindo que nos dêem carinho, amor e respeito, enquanto nossa criança interior estiver ferida e traumatizada, só vamos criar mais e mais caos e dor.

Até que decidamos acordar, topar a árdua tarefa do autoconhecimento e da procura pela cura estaremos rodando em círculos. Mas isso não significa que o Criador, O Grande Espírito, Deus, Adonai, esteja alheio ao nosso sofrimento. Muito pelo contrário. Ele continua a cada milésimo de segundo apostando TODAS as fichas em cada um de nós.

O recado do Grande Espírito

Assim, deixo o último conselho do Grande Espírito que me apareceu nessa visão: ofereça amor! Ele me disse claramente que quando nossa vida não está funcionando é porque precisamos injetar mais amor, amar mais, mais e mais e que somente adultos saudáveis podem oferecer e sentir o verdadeiro amor de qualidade. Caso contrário, continuaremos a não oferecer nada e somente exigir o amor infantil, limitado e arcaico.

Portanto, procure ouvir sua criança interior, conversar com ela, trabalhar os traumas antigos para que, como adulto, você consiga elevar-se em amor e chegar cada vez mais próximo D’Aquele que criou todas as coisas.

E para finalizar, aproveito para partilhar uma canção xamânica que fala exatamente isso: Oh, Great Spirit… Earth, sun, sky and sea. You are inside. And all around me”. Ou seja: o Grande Espírito está na Terra, no sol, no céu e no mar. Ele está dentro e fora de cada um de nós. Permita que Ele acorde dentro de você ainda hoje!

*Earth Connections é um atendimento espiritual canalizado por Denny ao sobrevoar as Everglades (EUA), durante viagem a locais sagrados em solo americano. Trata-se de uma terapia sensitiva, que traz ao ambiente de consultório – ou à distância – a sabedoria ancestral Xamânica, mesclada a outras vertentes, sem ritualística, misticismo ou dogmas. O objetivo é trazer ao ser humano o conhecimento a respeito de suas forças internas e protetoras resultando em autoconhecimento e cura, no sentido amplo da palavra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *